• novas viaturas
  • helicopter_graer
  • Destaque Polícia Militar
  • Destaque Polícia Militar
  • Destaque Polícia Militar
  • Intranet
  • Estado

Policiamento do Interior

19/05/2017

No Norte do estado, PM faz atendimento via fone e salva a vida de recém-nascida que havia se afogado

Por Marcia Santos
Jornalista PMPR

Um policial militar do 10º Batalhão de Polícia Militar (10º BPM), pertencente ao 2º Comando Regional da PM (2º CRPM), que durante um atendimento telefônico ajudou a salvar a vida de uma recém-nascida, fez uma visita a família na tarde desta sexta-feira (19/05) em Apucarana (PR) no Norte do estado. A criança, de apenas 10 dias, se afogou e o PM passou aos pais quais procedimentos deveriam ser feitos. Após o atendimento médico ela passa bem.

“Tudo aconteceu muito rápido. Tirei ela do banho, deitei no cobertor e ela começou a vomitar, sendo que em seguida se afogou. Entrei em choque e pedi para minha esposa ligar 190. O policial que nos atendeu passou quais os procedimentos que deveríamos fazer e logo depois ela voltou a respirar. Nisso o SAMU chegou e o médico prestou os atendimentos”, explicou Paulo César Cândido Bento, pai da pequena Sara Emanuele de 10 dias.

De acordo com o soldado João Batista Souza, que atua na Central de Operações Policiais Militares, esta foi a primeira vez que atendeu uma situação como esta no serviço policial. “Uma vez minha filha se afogou e tive que fazer os mesmos procedimentos. Então quando recebi a ligação da mãe procurei acalmá-la e expliquei o que deveria ser feito. Pouco segundos depois escutei o choro da criança ao fundo, ai veio a sensação de alívio”, conta.

Nesta data os pais do bebê e o policial militar puderam se conhecer. “É maravilhoso e indescritível a sensação de poder ajudar. Fico muito feliz quando o nosso trabalho diário tem um resultado positivo. No nosso setor, se fazemos um mau atendimento no telefone a resposta à população não será tão eficaz. Precisamos ter sempre atenção e agilidade para ajudar as equipes que estão na rua”, disse o soldado Batista que não segurou as lágrimas ao pegar Sara no colo.

Segundo o pai do bebê, o momento do encontro foi emocionante. “Não tem como não chorar, pois se não fosse o atendimento excelente dele talvez minha filha não estaria aqui. Fico tranquilo em saber que posso contar com a ajuda da PM e que temos a nossa disposição profissionais que sabem o que estão fazendo. Parabenizo a todos pelo trabalho”, acrescenta Paulo.

A oficial de Relações Públicas do 10º BPM, tenente Kelly Wistuba De Franca, ressaltou que é necessário este momento do encontro. “Para o policial é importante saber que o trabalho dele ajuda muitas pessoas, mas até do que ele imagina. E para a família é uma forma de agradecer quem os auxiliou em uma situação tão delicada. Todos se emocionaram e faz com que tenhamos certeza de que todo o esforço vale a pena”, afirmou.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.