• novas viaturas
  • helicopter_graer
  • Destaque Polícia Militar
  • Destaque Polícia Militar
  • Destaque Polícia Militar
  • Intranet
  • Estado

Policiamento da Capital

10/10/2018

Projeto CEU, que pretende unir a comunidade cristã e a Polícia Militar, é lançado no Quartel do Comando Geral em Curitiba

Por Marcia Santos
Jornalista PMPR

O projeto Comunhão Espiritual da Unidade, o CEU, voltado a reforçar a reflexão da importância da espiritualidade no meio policial, foi lançado na manhã desta quarta-feira (10/10) durante um evento no Auditório do Quartel do Comando-Geral da PM, em Curitiba. A iniciativa tem como objetivo fazer a integração das forças militares com a comunidade cristã de todo o estado do Paraná para que estes apoiem espiritualmente a Corporação com orações. As instituições religiosas poderão se cadastrar no site, receber as necessidades e pedir em orações aquilo que se necessita.

Segundo a Comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, é importante estar integrado com os pastores e padres, para que todos estejam orando pela Corporação. “Os policiais militares, ao saírem para mais um dia de trabalho, vão às ruas porque tem esperança. Fazemos a diferença na sociedade e cremos que o nosso trabalho vai colaborar para um mundo melhor”, relatou.

A coronel ainda lembrou de outro projeto desenvolvido pela Polícia Militar, o Projeto Recomeçar, que auxilia, por meio de encontros, policiais que estão se preparando para acessarem a Reserva Remunerada. “Nós precisamos ter um olhar mais humano porque a PM faz um trabalho diferenciado. O policial militar não pode ser tratado como um servidor comum, porque o desgaste que ele tem é muito grande, que  reflete emocionalmente em sua vida pessoal" explica a Comandante-Geral.

Segundo o Reverendo da PM, cabo Rogério Luiz Vitório da Silva, um dos responsáveis pelo CEU, o projeto terá outras etapas. “A iniciativa terá desmembramentos na ação do cuidado, nas questões espiritual, psicológica, e social, visando despertar um ser biopsicossocioespiritual do indivíduo, que é a nossa Corporação formada por policiais e bombeiros militares, juntamente com seus familiares” explica o Reverendo.

O projeto começou em agosto deste ano durante as comemorações dos 164 anos da Corporação. Foi através de um mapeamento, em mais de 250 municípios, que os militares estaduais conseguiram reunir as necessidades e as transformaram em motivação fixas de orações, além das eventuais emergenciais que envolvam o policial ou bombeiro militar.

Para participar do projeto as igrejas podem se cadastrar pelo site http://ceupmpr.org/, uma equipe entra em contato para orientar, passar os critérios e um certificado é levado após firmada a parceria. Ainda segundo o Reverendo Rogério, os policiais poderão deixar na plataforma os seus pedidos de orações pessoais, uma equipe filtra esses pedidos para não expor o militar e transfere para a rede.

Representando o Arcebispo Dom José, o padre José Aparecido Pinto, da Arquidiocese de Curitiba, destacou a importância da participação cristã na iniciativa. "O projeto, que envolve todas as igrejas cristãs, traz a humanização de toda a Corporação, de todos os militares, para que todos possam entender que existe algo maior, que é Deus. Queremos ser e fazer as outras pessoas felizes, por isso a igreja participa desse projeto”, relata.

Para o Bispo Cirino Ferro, essa integração da comunidade cristã com a PM é importante porque é a partir do serviço social e espiritual que se reforça a ajuda psicológica e emocional para os integrantes da Corporação. “A gente honra muito esses profissionais, sabemos que são doadores de vida. Entendemos que, se o Senhor não guardar a cidade, como diz na Bíblia, em vão vigia a sentinela. Nossa oração é para que Deus esteja guardando cada um desses policias, em nome de Jesus”, explicou o Bispo.

A psicóloga Elaine Cristina de Sousa Hatch, que faz parte do projeto, conta que uma experiência pessoal fez com que ela fosse convidada para participar. “Há um ano meu marido, que era tenente-coronel, morreu durante o tratamento de câncer e nesse momento percebi como o trabalho da Capelania é importante. Estou muito feliz por fazer parte deste projeto e poder contar tanto com a minha formação acadêmica quanto com a minha superação pessoal para ajudar outras pessoas”, diz.

Para Ubiratan da Silva, responsável pela visibilidade do projeto, essa ação é importante para demonstrar a relevância da Corporação e a Igreja traz o carinho e respeito através das orações. “A Polícia Militar é uma instituição histórica de fundamental importância para a segurança da sociedade, ao mesmo tempo composta por homens e mulheres que tem seus sonhos, mas também tem suas limitações e desafios. Para nós é uma oportunidade de contribuir para melhorar esse belíssimo trabalho que a PM tem feito aos paranaenses” explica.

O evento contou com louvores, orações e uma pregação da Comandante Geral, além da entrega de diplomas a alguns dos envolvidos que ajudaram no desenvolvimento do projeto. Segundo a coronel Audilene, a Capelania não tem uma religião, ela é cristã e quem a procura tem um apoio espiritual independente da sua crença.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.