• novas viaturas
  • helicopter_graer
  • Destaque Polícia Militar
  • Destaque Polícia Militar
  • Destaque Polícia Militar
  • Intranet
  • Estado

Capital

18/11/2013

Passagem de comando do Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária é realizada em Curitiba

Por Marcia Santos
Jornalista PMPR

Em uma solenidade realizada na tarde desta segunda-feira (18/11), no Salão Nobre do Quartel do Comando Geral da PM, no bairro Rebouças, em Curitiba (PR), o então comandante do Batalhão de Polícia Comunitária (BPEC), major Gerson Luiz Buczenko passou o comando para o major Ronaldo de Abreu. Criado em 1994, a unidade visa atender as ocorrências em colégios de Curitiba (PR), usando técnicas de policiamento comunitário, palestras e orientações para crianças e adolescentes.

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) é um dos programas desenvolvidos pelos policiais da unidade. Em atividade desde 2000, a iniciativa tem a parceria da Secretaria de Educação do Estado e realiza a conscientização dos jovens sobre os riscos e consequências que o uso de drogas e bebidas alcoólicas podem ocasionar a saúde e à família. Peças teatrais são montadas com toda a criatividade possível para atrair a atenção dos pequenos, divertindo e educando ao mesmo tempo.

A solenidade foi marcada pela presença de autoridades como o vice-governador e secretário de Educação do Estado Flávio Arns, o Sub-Comandante Geral da PMPR coronel Péricles de Matos, o Diretor de Ensino e Pesquisa da PMPR coronel Douglas Sabatini Dabul, além de oficiais e praças da Polícia Militar do Estado do Paraná, e, também por discursos emocionantes e que ressaltaram a importância do BPEC para o estado.

“A segurança pública é multifacetada, temos policiais na fronteira, no trânsito, os que protegem a nossa fauna e flora, assim como temos também aqueles que têm um contato mais direto com a comunidade como é o caso do BPEC, em que os policiais estão ali presentes para a segurança, orientação e prevenção de crimes contra as crianças que são o futuro da nossa sociedade, buscando sempre livrá-las do contato, principalmente, com o tráfico de drogas”, relata o coronel Péricles.

Em seu discurso, Flávio Arns, falou sobre a unanimidade que é a Patrulha Escolar e sobre a importância do contato das crianças com os policiais. Arns comentou sobre a questão cultural que às vezes acaba afastando os jovens dos policiais.

“A relação de um aluno com um policial fardado é de extrema importância em vários aspectos, primeiramente em relação ao medo que ela possa ter desse policial fardado, até mesmo por uma questão cultural, mostrando que ele está ali para protegê-la, orientar, levar valores e ajudar na prevenção. Com a presença da patrulha escolar, as crianças podem entender realmente qual é o papel da PM na sociedade e a importância da sua integração com a comunidade”, comenta.

O major Buczenko que estava bastante emocionado durante todo o evento, principalmente durante seu discurso, falou sobre a emoção de poder lidar com às crianças e os adolescentes e a mudança da visão da comunidade sobre a Polícia Militar que ele pôde acompanhar com o decorrer dos anos.

“Eu acredito que o batalhão quebrou paradigmas e aproximou os policiais dos jovens e das crianças, acabando com o estigma de que a polícia vai prender e vai reprimir. O BPEC foi de extrema importância para desconstruir essa imagem e fortalecer a imagem da polícia amiga da escola, da criança, do jovem, que ele pode confiar e pode levar seus problemas, esse paradigma está praticamente quebrado no estado do Paraná, hoje as pessoas sentem falta da PM quando ela não está presente na escola”, ressalta o major Buczenko.

O novo comandante do BPEC, major Ronaldo de Abreu, comentou sobre a importância de assumir um batalhão que está em contato direto com a comunidade e da experiência de ser pela primeira vez comandante de uma batalhão da PM. “Pra mim é de grande e importância e relevância assumir esse batalhão, principalmente por ser a primeira vez que eu assumo o comando de um batalhão. Vou ter a oportunidade de comandar um batalhão que lida com a criança que é a base da comunidade”, diz o major Abreu.

Sobre os planos para o futuro do BPEC, após assumir o comando, o major Abreu declara que “Novo comando vai se basear principalmente no que os praças trazem de informações e experiências, já que eles estão em contato direto com a comunidade, até o final do ano vamos seguir a mesma linha e pretendemos, no ano que vem, a partir de um planejamento, levar algumas novidades e sempre melhorar a nossa relação com as crianças e ajudá-las”.

De acordo com o major Buczenko, que deixou o comando, a melhor lembrança que ele leva do Batalhão de Patrulha Escolar e Comunitária é ver o contato do policial com a criança. “A minha maior alegria e emoção é de ver um policial abraçando uma criança emocionado ou ver a criança buscando os braços do PM demonstrando essa relação de confiança e proximidade um com o outro, esse é um momento histórico na corporação. Eu fui criado na época da ditadura militar e nessa época nós lidávamos com o inimigo, sem mesmo saber quem era, agora nós lidamos com amigos, e a polícia quer ser cada vez mais amiga da população”, conclui emocionado.

Para finalizar, o coronel Péricles resume em uma frase o que é o BPEC e sua importância. “O BPEC preserva aquilo que é mais caro e mais precioso para as famílias paranaenses, as nossas crianças”.

*Colaboração: Natalia Concentino – Estagiária de Jornalismo

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.