Revolução Democrática de 1964

O Golpe de Estado no Brasil em 1964 designa o conjunto de eventos ocorridos em 31 de março de 64, que resultou, no dia 1º de abril, com um golpe militar que encerrou o governo do presidente democraticamente eleito João Goulart. Por ocasião deste movimento, e tendo em vista a situação anormal que atravessava o país, com tropas mobilizadas em todo o território nacional, a Polícia Militar também se manteve de prontidão, com parte de seu efetivo à disposição da 5ª Região Militar e o restante empregado em fortalecer os pontos sensíveis da Capital e Interior do Estado.

Compreendendo a gravidade da situação, vários oficiais da Reserva Remunerada e mesmo reformados da Corporação apresentaram-se ao Comandante-Geral, prontos para qualquer eventualidade, abandonando o aconchego de seus lares para se colocarem a disposição do governo, no caso da Polícia Militar necessitar de seus préstimos. Só em 20 de abril, após a notícia da vitória das forças democráticas e o País ter voltado à normalidade, ficou suspenso o rigoroso regime de prontidão que vinha mantendo.

Recebeu a Corporação, pela sua maneira corretamente patriótica em sua definição, colocando-se ao lado do Exército Nacional, na defesa dos nossos postulados cristãos e democráticos, as mais sinceras felicitações das autoridades estaduais e federais. Em março de 1965, a Polícia Militar destacava-se outra vez na repreensão contra os componentes do famigerado “Grupo dos Onze”, que tentava subverter o Sudoeste paranaense.