Policiais militares passam por capacitação de ciclopatrulhamento no Litoral
13/01/2021 - 18:07

Por Marcia Santos
Jornalista Responsável

As equipes policiais do Verão Consciente 2020/2021 no Litoral, que atuam no ciclopatrulhamento, passaram nesta quarta-feira (13) por uma capacitação sobre abordagens e outras técnicas policiais com uso de bicicleta. O objetivo do nivelamento, coordenado e executado por um major especialista no assunto, é aperfeiçoar as habilidades no trabalho preventivo e ostensivo desenvolvido desde o início da temporada com as bikes. Participaram das atividades teóricas e práticas policiais militares de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná.

A instrução foi aplicada pelo comandante da 4ª Companhia Independente de Polícia Militar (4ª CIPM), major Marcos Tordoro, que desenvolveu, há alguns anos, um projeto de policiamento com uso de bicicletas no meio urbano na região de Londrina para criar uma ponte de aproximação da PM com a população durante o trabalho de prevenção à criminalidade. Essa modalidade de patrulhamento tem se firmado no Estado e já se expandiu para a região de Maringá, área do 4º Batalhão, além do Litoral.

O policiamento com bikes é utilizado nas cidades de Guaratuba, Pontal do Paraná e Matinhos, nos balneários com maior concentração de comércios e circulação de pessoas. Há anos esse modelo vem sendo aplicado no Litoral na temporada de verão como forma de prevenção à crimes e de maior proximidade com os veranistas. No Litoral, o ciclopatrulhamento se consolidou durante o período como um incremento à toda gama de atuação da Polícia Militar na prevenção à criminalidade. 

“O ciclopatrulamento é muito eficaz, pois é focado no policiamento de proximidade com o cidadão, com ações voltadas para atender a população. Hoje tivemos a oportunidade de estar aqui para conversar com os policiais que estão atuando no radiopatrulhamento com bicicletas, para falar um pouco de doutrina e promover exercícios práticos”, disse o major Marcos Tordoro.

TREINAMENTO - Ele contou com o apoio do cabo Jefferson Aparecido Pereira, do 5º Batalhão de Polícia Militar (5º BPM), para a instrução. A primeira parte ocorreu em sala de aula, aonde o major detalhou aos policiais militares a importância do radiopatrulhamento com bikes, os efeitos da presença mais próxima da população na prevenção aos crimes e sobre o aumento da segurança com essa modalidade de policiamento.

Os exercícios práticos foram feitos num campo, onde os policiais militares aprenderam sobre os cuidados com a bike, a postura correta, regulagem do banco e outros detalhes que fazem a diferença no atendimento de uma ocorrência. Também exercitaram abordagens, receberam dicas sobre a condução e frenagem, técnicas de tiro policial com bike, entre outros assuntos. A instrução serviu para nivelar conhecimentos e padronizar condutas com base na doutrina de ciclopatrulhamento.

“O PM tem que ter a habilidade para o pedal para que ele possa acessar locais, descer escadarias, por exemplo, e ainda assim estar atento ao que acontece ao redor. Observar o que ocorre, observar as pessoas para realizar abordagem, deixando a bicicleta de lado, tudo isso precisa ser treinado, pois a repetição do movimento vai gerar confiança e qualidade no exercício, para que o policial militar possa exercer seu serviço e atender a comunidade com mais qualidade”, destacou o major.

A soldado Tatiane Lourençoni, da 4ª Companhia Independente, participou da capacitação e destacou o carinho pela modalidade. Ela acredita que o policiamento com bike é uma das maneiras mais eficientes para o policial se aproximar do cidadão e aumenta  o respeito e a admiração pelo serviço policial militar. “Gosto bastante, é de fundamental importância aqui no Litoral, região mais propícia para o uso de bicicleta por ser plana.  A bike é uma ferramenta que nos aproxima das pessoas, e as crianças são as que mais se encantam com esse policiamento”, afirmou.

MOBILIDADE – O major Marcos Tordoro explica que a principal vantagem do ciclopatrulhamento em comparação com o policiamento a pé e motorizado é a mobilidade. O tamanho reduzido e a facilidade de transitar por espaços mais estreitos são características próprias para o policiamento nos calçadões da orla, onde geralmente há grande quantidade de pessoas circulando e a passagem de moto ou carro é praticamente inviável.

Ao mesmo tempo que o policial está mais próximo das pessoas, ele também consegue perceber com mais clareza alguma situação suspeita, ou caso precise fazer uma abordagem, pode chegar até a pessoa de maneira mais eficiente.

AUTONOMIA E MEIO AMBIENTE - Mas além da mobilidade, há outras vantagens sobre o ciclopatrulhamento, que acabam beneficiando até mesmo a saúde do policial militar. A primeira delas seria a autonomia, por permitir a cobertura de um perímetro grande se comparado com o policiamento a pé. 

O respeito ao meio ambiente é outro fator considerável, por não provocar a emissão de gases poluentes, sem falar no treinamento físico que o policial passa a fazer. “O policial militar intensifica a sua atividade física com o radiopatrulhamento com a bicicleta, ele é impulsionado a fazer exercícios e quem ganha é o próprio policial, além da comunidade poder contar com um profissional mais bem preparado para atuar pela segurança pública”, afirmou o major.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias