Centro Odontológico

O Chefe do Centro Odontológico da Polícia Militar do Paraná comunica:

 

Devido à pandemia de COVID-19, permanecem suspensos os atendimentos odontológicos eletivos (atendimentos “normais”) na PMPR; entretanto, devido às melhores condições logísticas atualmente disponíveis, amplia-se o conjunto de situações consideradas urgências ou emergências odontológicas, flexibilizando, assim, as possibilidades de atendimento.

A restrição dos atendimentos aos casos de urgência/emergência segue as recomendações da Nota Orientativa 39/2020, da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, ainda em vigor, que afirma:

 

“Diante das demandas relacionadas ao tratamento odontológico frente a pandemia de COVID-19, esta Nota Orientativa tem como objetivo esclarecer e orientar sobre o atendimento odontológico nos serviços públicos no Estado do Paraná. A Nota Técnica nº09/2020/CGSB/DESF/SAPS/MS e a Nota Técnica nº04/2020/GVIMS/GGTES/ANVISA (atualizada em 08/05/2020), bem como a Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (SESA), recomendam a suspensão dos atendimentos odontológicos eletivos, mantendo os atendimentos de urgência e emergência.” (www.saude.pr.gov.br/Pagina/Coronavirus-COVID-19 )

 

Os casos de urgência/emergência odontológica, em Curitiba e Região Metropolitana, estão sendo atendidos somente no Centro Odontológico do Quartel do Comando do Corpo de Bombeiros, à rua Nunes Machado, nº 100 (fone: 3351 2055), de segunda a sexta-feira, nos horários de 8h às 11h e das 13h30m às 16h30m. Fora desses horários, e em finais de semana e dias sem expediente administrativo na Corporação, os pacientes que necessitarem de atendimento odontológico urgente deverão dirigir-se ao Pronto Atendimento (“Pronto-Socorro”) do Hospital da Polícia Militar (HPM), onde serão avaliados por médico plantonista que, constatando a necessidade, tomará as medidas necessárias junto ao Oficial Dentista de Prontidão.

Nas OPMs do interior que contam com Oficiais Dentistas, os horários dos atendimentos às urgências/emergências podem ser verificados junto às P1s respectivas.

 

São consideradas situações de urgência/emergência odontológica:

1 - dor dentária, bucal ou periodontal (das gengivas), espontânea ou provocada por estímulos térmicos (quentes ou frios), mastigação, fonação ou toque;

2 - dente, peça protética fixa, restauração ou fragmento dentário, soltos ou em risco de se soltarem;

3- cavidade aberta, abrangendo esmalte e dentina, em dente vitalizado ou não, com ou sem dor;

4- dente com polpa necrosada (dente “morto” e sem tratamento de canal);

5 - hemorragia ou sangramento intrabucal;

6 - trauma bucal recente, com suspeita ou risco de fraturas dentárias ou ósseas;

7 - condição bucal de origem dentária ou gengival que impossibilite ou dificulte a mastigação, fonação ou deglutição;

8 - edema (inchaço) das gengivas, face ou pescoço, com possível origem na boca;

9 - quaisquer condições odontológicas que impliquem em riscos significativos de desenvolvimento de problemas a curto ou médio prazo.

 

Curitiba, 15 de setembro de 2020

 

Cel. QOS Dent. Renato Luiz Marini Filho,

Chefe do Centro Odontológico da Polícia Militar do Paraná