Regimento de Polícia Montada da PM celebra passagem de comando durante solenidade militar em Curitiba
14/02/2020 - 13:55

Marcia Santos

Jornalista Responsável

 

A unidade mais antiga da Polícia Militar recebeu, na noite de quinta-feira (13/02), o novo comandante da unidade. Na ocasião, o tenente-coronel Elias Ariel de Souza passou a função ao major Marcio Stange da Cruz, que exercia a função de subcomandante da unidade e é o primeiro médico veterinário a assumir o Comando da unidade. O evento aconteceu na sede do Regimento de Polícia Montada (RPMon) Coronel Dulcídio, no bairro Tarumã, em Curitiba, na Capital do estado, e contou com a participação de familiares, amigos, além de oficiais e praças da Corporação.

 

Para o Comandante do 1º Comando Regional da PM (1º CRPM), coronel Hudson Leôncio Teixeira, o tenente-coronel Elias encerra sua carreira no Regimento com muito orgulho, pois foi a primeira unidade em que trabalhou quando entrou na PM. “Tive a oportunidade de servir com ele há 27 anos e, ao longo desses anos, ele desenvolveu as suas atividades de Comando com muito esmero, sempre demonstrando compromisso com a melhoria da qualidade do serviço prestada à População Paranaense”, disse.

 

 “É um misto entre o luto de ter que deixar a farda, ainda que seja opcional, e a expectativa de tudo aqui que ainda tenho para viver. A experiência adquirida como PM e todas as provações que se passa nessa instituição nos dão um suporte gigantesco para você poder continuar contribuindo para a sociedade, que é o que eu pretendo fazer, especialmente à educação, que é minha segunda vocação que é lecionar, e levar essa boa imagem da PM por onde eu passar”, disse Comandante sucedido, tenente-coronel Elias.

 

O tenente-coronel Elias ficou à frente do RPMon durante dois anos e meio e nesse período foi feita uma reestruturação da capacidade de estrutura e infraestrutura da unidade. “Renovamos 100% da frota de veículos pesados e triplicamos essa frota. Construímos estruturas, recuperamos todo o aras, aprovamos duas legislações em relação à equoterapia e reprodução animal”, contou. Ainda de acordo o ex-comandante, também foi iniciado um processo de produção animal que dá a PM autossuficiência na produção de equinos, sem necessidade de novas aquisições.

 

Segundo o coronel Hudson essa iniciativa é graças a todo estudo dos oficiais e praças da unidade. “O Regimento está quase chegando à autonomia e independência no sentido da reprodução dos animais, então isso providenciará um animal adequado à nossa região e propiciará uma economia ao estado”, complementou.

 

O major Cruz ingressou no Regimento de Polícia Montada há 22 anos, quando saiu da Academia Policial Militar do Guatupê (APMG), na década de 90 e, desde então, se especializou nas áreas de equinocultura. “Espero continuar mais alguns anos aqui para termos a oportunidade de implementar projetos na área social, como equoterapia, a reeducação de pessoas condenadas da Colônia Penal Agrícola, já estamos com um projeto nesse sentido, para trabalharmos e melhorar cada vez mais essa questão e, principalmente”, contou.

 

“Iremos trabalhar também com o policial da cavalaria, incentivando com cursos de extensão em todas as áreas de policiamento montado, seja na segurança ou na equinocultura, para que tenhamos um policial cada vez mais preparado para atuar nas ruas de Curitiba e de todo o Paraná”, complementou o major Cruz.

 

DESPEDIDA – O tenente-coronel Elias estava na Polícia Militar há quase 31 anos e agora passa para a Reserva Remunerada e durante o seu discurso agradeceu aos irmãos de farda, aos seus comandados e à sua família. Emocionado escolheu o poema Metade do poeta brasileiro Oswaldo Montenegro para se despedir da Polícia Militar do Paraná.

 

“E que eu possa superar o luto da perda da farda, porque é um momento difícil, porque metade de mim é partida e metade é saudade. Que eu possa guardar respeito por todos os homens e mulheres fardados que conheci, dedicados a causa pública e a todo sacrifício, porque metade de mim foi tropa e metade comandante. Que eu possa ainda ver nessa vida a polícia que eu tanto sonho e por qual tanto lutei, a polícia cidadã, que ela seja motivo de orgulho, respeito e admiração de toda sociedade, porque metade de mim é policial, mas metade também é cidadão. Pelas experiências vividas e o descanso merecido  possam me levar para casa e que eu possa cultivar os momentos com a família, porque metade de mim será sempre lembrança, mas metade é um pouco de cansaço. Que a força do homem que eu me tornei por conta dessa instituição e dos meus valores possam me guiar firme e teimoso naquilo que acredito, porque metade da minha vida foi luta e a metade que se segue também”, discursou o tenente-coronel Elias.

 

Ao final do evento, foi feito o descerramento do quadro do tenente-coronel Elias, que a partir de agora ficará fixado na galeria de ex-comandantes da unidade. O major Cruz entregou a insígnia do RPMon ao comandante substituído, além de lembranças entregues pelos policiais da unidade pela dedicação do tenente-coronel Elias à unidade.

 

Estiveram presentes na solenidade, o Comandante da 5ª Divisão de Exército, o General de Divisão Carlos José Russo Assumpção Penteado; o Comandante do 1º CRPM, coronel Hudson Leôncio Teixeira; o Diretor-Comandante da APMG, coronel Ronaldo de Abreu; o Diretor de Apoio Logístico da PM, coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção; o Diretor de Finanças da PM, coronel Vanderley Rothenburg; o Diretor De Desenvolvimento Tecnologia e Qualidade, coronel Samir Wassouf; o Ajudante-Geral, coronel Marco Aurélio Fahur; o Comandante do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), tenente-coronel Mario Henrique do Carmo; o chefe de Comunicação Social da PM, tenente-coronel Waldick Alan de Almeida Garrett, além de oficiais e praças da Corporação, familiares e amigos do Sucedido e Sucessor.

GALERIA DE IMAGENS